Após recordes de mortes, Bolsonaro defende o fim da quarentena

Jair Bolsonaro, (sem partido), voltou a defender o fim da quarentena, nesta quarta-feira, 13 de maio.

Um dia após o Brasil bater a triste marca de 881 mortes registradas nas últimas 24 horas, com um total de 12,400 mortes já provocadas pelo covid-19, e mais de 177.589 casos confirmados, o presidente atacou novamente o governador João Dória e a retomada da econonia.

“Ficar em casa, para quem pode, legal, sem problema nenhum. Agora, para quem não tem condições, geladeira está vazia, três, quatro filhos chorando de fome, é desumano”, disse Bolsonaro. “O governador de São Paulo (Doria) falou que é melhor isolamento do que o sepultamento. Quem ficar em casa parado vai morrer de fome. Até o urso quando hiberna tem prazo para hibernar. Não podemos ficar hibernando em casa”, completou. “Vai chegar um ponto que esse povo com fome vai vir às ruas”, declarou.

Share with: